Representando um papel

Archive for abril 2009

Deus

with one comment

No domingo fui cobrir o Dia de Santo Expedito. Rendeu uma matéria bacana, conversei com o padre,  com o suplente, fiquei debaixo do sol com fome e calor. Fiz uns personas extraordinários, pessoas sofridas que foram até o bairro da Luz em busca de um milagre.

Milagre. Não sou católica, não acredito em santos, não rezo, nem sabia que a correntinha se chamava terço. Mesmo assim, naquele momento, me abri e deixei que alguma coisa mexesse comigo. Deixei que o padre me desse uma daquelas correntinhas – desculpem, terço – e por um segundo eu não questionei se Deus existia ou não.

Melhor, ainda não sei se Ele existe. Acreditei Nele por anos a fio, até Ele me provar que foi Ele quem criou o mazoquismo. Desculpa, mas com tantas pessoas boas, não entendo como ainda existe a pobreza, a violência, a ignorância e qualquer outra coisa do gênero.

Há exatos dois anos eu ainda me perguntava o motivo pelo qual eu não tive o meu milagre. Os meus milagres. Ele não quis me dar, quis me tirar. E depois ainda dizem que ele é bacana?! Ok, talvez eu me arrependa de ter dito tudo isso. Mas, nesse instante, eu ainda questiono se ele realmente pensa nos seus filhos.

Written by Silvia

22/04/2009 at 7:57 PM

Publicado em Sem categoria

Amor com trilha sonora

with 3 comments

É de você que eu lembro quando uma música antiga toca na rádio. É de você quem eu lembro quando escuto qualquer melodia que fale sobre um amor perdido. É de você quem eu lembro quando estou me sentindo triste e solitária. É de você que eu lembro quando eu me sinto feliz e realizada.

É como todo mundo fala: “Um dia isso vai passar”. Ainda espero o meu dia chegar, apesar de ter medo. Muito medo. E se eu te esquecer? E se esquecer o seu tom de voz, o seu olhar e a maneira que costumava me acordar?

O que eu quero esquecer sei que nunca sairá de mim: o último dia que te vi. Eu falei, gritei, esperniei e você não voltou atrás na sua decisão.. a de me deixar. E, as vezes, o que eu mais queria no mundo era seguir com você. Por que não? Ia te procurar, procurar o seu abraço e o seu conforto. Ok, talvez você não fosse me querer, talvez me expulsasse… mas…agora eu quero acreditar que não. Eu quero acreditar que você me receberia com braços abertos ao som do Queen, dos Beatles ou do Fredie Mercury.

Então, se você ler isso, volta pra mim. Dá um jeito, dribla tudo e todos e volta. Você faz falta.

Written by Silvia

15/04/2009 at 10:59 PM

Publicado em Sem categoria